Seguidores

"A literatura, como toda a arte, é uma confissão de que a vida não basta" Fernando Pessoa

pensador.info www.emagrecerdevez.com

quarta-feira, 18 de fevereiro de 2009

Doença linfática

Mais uma vez estou aqui para comentar sobre esta doença que tem maltratado tantas pessoas por aí, inclusive a mim. Essa assim como todos os males, além de incômoda, de maltratar e invalidar as pessoas, é também responsável pelo olhar desconfiado e de piedade que as pessoas nos lançam. Como muitos alunos e colegas sentem curiosidade por essa doença de nome esquisito, resolvi colocar aqui algumas informações. Espero que esclareça.
O que é doença linfática?
O que é exatamente o sistema linfático? O que ele faz?
Quais são as principais causas da doença linfática?
Quais são os principais sintomas da doença linfática?
A doença linfática pode piorar com o passar do tempo? Como ela progride?
Graus da doença linfática.

O que é doença linfática?
A doença linfática é decorrente de problemas de circulação nos vasos que transportam a linfa (um líquido que contém proteínas e outras substâncias) no organismo.

O que é exatamente o sistema linfático? O que ele faz?
O sistema linfático é formado por vasos que transportam a linfa pelos gânglios (também conhecidos como linfonodos). Uma das principais funções do sistema linfático é de “transportar as proteínas, outras substâncias e líquidos que saem do sangue para dentro dos vasos linfáticos assim como também ajudar o organismo a se defender contra diferentes microorganismos (por exemplo, bactérias, vírus e fungos). A linfa, ao passar o organismo se defende combatendo as infecções.

Quais são as principais causas da doença linfática?
Entre as principais causas podemos citar a congênita (a pessoa já nasce com o problema), a infecciosa, após radioterapia, após alguns tipos de cirurgia (por exemplo, mastectomia) e tumores. uma complicação mais rara, porém grave, é o aparecimento do câncer.

Quais são os principais sintomas da doença linfática?
As pessoas com doença linfática têm uma menor circulação da linfa pelo corpo. Podemos dizer resumidamente que, como a linfa fica mais “parada”, uma parte desse líquido sai de dentro para fora do vaso, ficando acumulando debaixo da pele, causando o inchaço (linfedema) dos pés, tornozelos, pernas ou dos braços. Quando o inchaço aumenta, pode causar dor no local, deformidades, dificuldade para movimentar a perna, o braço etc. e até mesmo infecções da pele.nos casos mais complicados, o inchaço é tão grande que pode dificultar o movimento do membro com a incapacidade de andar novamente.

A doença linfática pode piorar com o passar do tempo? Como ela progride?
Dependendo do caso a doença linfática tem vários estágios, começando mais leve e podendo piorar com o tempo. A piora ou não da doença vai depender da sua causam dos cuidados que a pessoa tem, da presença ou não de outras doenças e de complicações, da rapidez do diagnóstico e do tratamento.

Graus da doença linfática
• Pessoas que não têm inchaço (linfedema), porém têm problemas no sistema linfático (grau 0)
• Inchaços que desaparecem apenas com repouso noturno (grau I)
• Inchaços que não diminuem com o repouso, mas que podem ser eliminados com drenagem linfática Manuela e procedimentos médicos (grau II)
• E, por fim, o estágio mais grave da doença, que se manifesta por inchaços que não melhoram com o tratamento e são chamados de elefantíase( grau III)

DICAS PARA QUEM TEM DOENÇA LINFÁTICA
• Pratique um exercício físico (por exemplo, faça caminhadas leves, natação ou alongamento três vezes por semana)
• Mantenha um peso saudável (faça uma dieta balanceada, com muitas fibras e pouca gordura)
• Evite ficar na mesma posição – parado ou sentado – por muito tempo (por exemplo, levante e faça pequenas caminhadas durante o dia)
• Durante as viagens (por exemplo, de avião), quando possível, movimente as pernas, ande, levante e abaixe os pés repetidamente, de tempos em tempos.

DICAS PARA EVITAR ERISIPELA
• Cuide bem da sua pele (lave e seque bem as pernas e pés, mantendo-os sempre limpos)
• Evite traumatismos e cortes
• Evite andar descalço
• Procure o médico e trate as micoses de unhas e aquelas entre os dedos
• Não use na pele nada que não tenha sido prescrito pelo seu médico.

Quais são os principais tipos de tratamento
São vários os tipos de tratamento para doença linfática, porém e escolha é feita de acordo com cada caso. No geral, o tratamento baseia-se no uso de medicamentos, fisioterapia ou cirurgia podendo ser utilizados isoladamente ou associação.
Medicamentos: por exemplo, drogas chamadas de linfocinéticas têm capacidade de aumentar a circulação dos vasos linfáticos e assim melhorar os sintomas.
Fisioterapia: sessões de drenagem linfática manual e compressão pneumática intermitente melhoram, por meio da “massagem”, a circulação linfática.
Cirurgia: indicada em poucos casos, geralmente quando não houve melhora dos sintomas com medicamentos e/ou fisioterapia.

Quais são as complicações das doenças linfáticas?
Entre as complicações mais freqüentes, podemos citar a erisipela, as linfagites (inflamações dos vasos linfáticos que podem ou não ser causadas por microorganismos) e o endurecimento da pele e da gordura (fibroedema).

O que é erisipela?
A erisipela é uma infecção de pele causada por bactérias, sendo muito comum nas pessoas que têm doença linfática. No geral, essas bactérias estão presentes na pele normal, porém o inchaço causado pela má circulação da linfa aumenta a chance de aparecimento de pequenas feridas na pele. As bactérias penetram através destas feridas e causam a infecção (erisipela).

Quais são os principais sintomas da erisipela? E como pode ser tratada?
Inchaço, dor, vermelhidão e pele quente são os principais sintomas. Nos casos mais complicados, a pessoa pode ter febre, aparecimento de “ínguas” (aumento dos gânglios), fraqueza e até perda de apetite. No geral, o tratamento baseia-se no uso de antibióticos para combater a infecção e cuidados locais, como limpeza, proteção local contra traumas, entre outros. Não passar cremes, pomadas ou outras substâncias no local sem orientação médica, pois podem piorar o caso. Medicamentos como cumarina e troxerrutina podem melhorara a circulação linfática.

É possível prevenir a erisipela?
Alguns cuidados podem reduzir as chances de a erisipela aparecer. Entre eles, uma boa higiene diária, com água e sabão neutro, é fundamental. Proteger o local afetado e evitar traumas e cortes também são cuidados importantes. Além disso, evitar a tratar as micoses, por exemplo, entre os dedos dos pés ou unhas, pois são uma “fonte” de infecções. Assim, lavar e secar muito bem as mãos e os pés, deixar os pés “respirarem” em casa, não andar descalço, usar sempre calçados confortáveis e cortar as unhas após o banho são outras dicas. Nos casos em que a micose já está presente, procurar o médico para o tratamento adequado.

Recomendações importantes
Pessoas com linfedema devem ir ao médico com freqüência para avaliações adequadas. Isso diminui o risco de infecções e de outras complicações e melhora a qualidade de vida das pessoas.

Fonte: www.altanapharma.com.br

Extrato de amora

De todas as postagens feitas aqui, o extrato de amora é a que é mais vista e mais comentada. Realmente há muitos depoimentos favoráveis ao extrato de amora, portanto, sinta-se a vontade para conhecer um pouco sobre os seus benefícios.
Quantos agoras perdemos esquecendo que o risco pode ser a salvação de muitas alegrias de nossas vidas... O medo que nos impede de sermos ousados agora, também está nos impedindo de vermos a linda pessoa que podemos ser. (Clarice Lispector)

Quando gosto repasso

Quando gosto repasso